O que é o bypass gástrico ?

O bypass gástrico (bypass em y roux), funciona por 3 mecanismos diferentes: reduz a quantidade de alimentos que consegue ingerir, reduz a absorção dos nutrientes da comida ingerida e altera a disponibilidade biológica dos nutrientes e a produção de hormonas dependentes do intestino.
Na realização do bypass, o cirurgião cria uma pequena bolsa gástrica (excluindo ~90% do estômago) e realiza a sua ligação com o intestino delgado, cerca de 2 metros mais à frente.
Este procedimento ajuda a perder peso porque:
  • a pequena bolsa gástrica e a anastomose (ligação artificial entre o estômago e o intestino) limita o volume de comida tolerado pelo estômago, transmitindo uma sensação de saciedade após uma pequena ingestão alimentar (com o tempo, esta bolsa pode dilatar, fazendo com que tolere a ingestão de maiores volumes);
  • o organismo absorve menos calorias, visto que a comida ultrapassa a maior parte do estômago e do intestino delgado proximal. Esta alteração anatómica, diminui o apetite, diminui a absorção dos alimentos e altera a produção de diversas hormonas.
A cirurgia é realizada por 5 pequenas incisões, com o auxílio de 1 câmara de vídeo (laparoscopia). É um procedimento teoricamente definitivo, com um risco de complicações pós-operatórias de <5% e uma mortalidade de ~0,1%. As principais complicações são a deiscência da anastomose (dificuldade de cicatrização da “ligação” efectuada entre o estômago e o intestino), a infecção intra-abdominal e a hemorragia. A longo prazo, podem surgir complicações como a estenose (aperto) da anastomose, úlceras, hérnias ou hipoglicemias.

O bypass gástrico é reconhecida como a técnica de eleição e a perda de peso esperada é de 80% do excesso de peso, cerca de 80% dos pacientes atingem um imc < 30, cerca de 1 ano após a cirurgia.

**Notem que todas as dúvidas que tenham acerca das cirurgias e procedimentos devem ser esclarecidos com os vossos médicos assistentes, cada caso é um caso.**
Parte desta informação foi retirada do site do Dr. Gil Faria.